Navegando pelo mundo da Net, encontrei e trouxe para cá estes grandes achados.São pessoas talentosas que escreveram o que eu gostaria de ter escrito. Todos os textos estão com os devidos créditos. Meus parabéns a todos eles! Rejane

[s375x320.htm]

“Quem escreve constrói um castelo, e quem lê , passa a habitá-lo.”

segunda-feira, 10 de maio de 2010

A morte da Dra Perfeita.






Por: Marilisa Peeters

Do Blog  :
 http://pensoinsisto.blogspot.com/

Que essa história que o câncer muda a vida da gente muda mesmo.
Eu era a Dra. Perfeita.
A Dra. Perfeita era esposa, mãe, criadora de cães, dona de casa, patroa, empregada em tempo integral e, de quebra, o apelido era Severino (sabe aquele da Zorra Total que vive quebrando galhos??). Pois é vivia quebrando galhos prá uma cambada.
A Dra. Perfeita ficou 6 anos sem sair de férias.
Ah, ia me esquecendo, tomei anti depressivos durante um ano antes de descobrir que tinha câncer.
Depois do câncer as coisas mudaram.
Hoje se der eu faço.
Se eu quiser eu faço.
Se não der...dane-se. Em primeiro lugar minha corrida e minha musculação, meu blog, meu ócio. Se der tempo de mais alguma coisa vou pensar se à fim.
Continuo fazendo tudo o que eu fazia antes, mas agora o lema é: Primeiro eu!!
Minha casa já não é tão brilhante e nem faço questão. Minha prioridade agora são as coisas que eu quero e gosto de fazer.
Pessoas também são um fator determinante nessa fase pós-câncer. Separa-se o joio do trigo e corremos prá galera - do bem...
Descobri, à duras penas, que sou responsável apenas por mim mesma e que dar uma de indispensável prá todo mundo dá câncer. Além de muita dor de cabeça.
Gentileza gera gentileza e se não for gentil comigo espere reciprocidade. Ela virá.
Não confunda isso com insensibilidade. O câncer também desperta uma gama de sentimentos controversos que me deixam pasma de vez em quando. Além de ser a Dra. Perfeita eu era também, a Sra. Sequinha, raros eventos me molhavam os olhos. Hoje sou mais solidária com a dor alheia, tenho mais empatia, mas ainda não virei boboca e nem caio no canto da sereia.
Hoje a Dra. Perfeita descansa em paz.
Mari, por sua vez, está muito envolvida com seu próprio umbigo prá dar bola prá coisas que não são de verdade, gente que não é de verdade e fricfrics alheios.

3 comentários:

Lianara **Lia** disse...

Rejane, querida!

As reviravoltas da nossa vida... eu já fui a "Mulher Maravilha" e hoje passo longe dessa "maravilhosa perfeição". Eu cuidava de todos, hoje vejo quanta energia me consumia. Agora ando no bloco do "Primeiro EU" e é muito melhor, pra mim e para os outros também!

Beijos

Lia

Blog Reticências...

Marilisa Peeters disse...

Oi Rejane!!
Só hoje vi tua postagem lá no meu blog informando o "furto"...rsrsrsrs
Querida, sinta-se à vontade para roubar o que quiser lá de casa...pois eu me sinto lisonjeada...kkk
bjkas

Andréa disse...

E não é que o sofrimento é mesmo o remédio amargo que cura a alma? Nós humanos o vemos como castigo, quando, na verdade, é benção!:-) Bom dia!

Leia no arquivo.