Navegando pelo mundo da Net, encontrei e trouxe para cá estes grandes achados.São pessoas talentosas que escreveram o que eu gostaria de ter escrito. Todos os textos estão com os devidos créditos. Meus parabéns a todos eles! Rejane

[s375x320.htm]

“Quem escreve constrói um castelo, e quem lê , passa a habitá-lo.”

quarta-feira, 17 de março de 2010

Os caminhos da felicidade



[y1peoEDBxGGBMbJoc6_U3vzUDevJIJDUp_LKsHFlG8wxzSwtnvGnp4b4eKyq1t1ty_ovciQ2wjTdH0.jpg] 


 Autora: Jeanne





São muitos os caminhos que conduzem à felicidade neste planeta em que estamos em estágio evolutivo.
O que seduz e fascina na vida são as infinitas possibilidades que ela nos oferta gratuitamente.
A cada dia, novas esperanças assentam espaços antes ocupados pelo abandono.
Abandono de si, abandono de seu desejo intimo para privilegiar ilusões fúteis...
A época é de semear novas atitudes e novos pensamentos pelos caminhos.
Podemos começar hoje o caminho da libertação.
Deixemos as autolimitações para que os talentos naturais de cada um possam emergir com vigor e destemor.
Nada há a temer àquele que se despojou das cargas inúteis, muitas vezes impostas por uma sociedade que não sabe renovar-se, muitas vezes por ele mesmo acrescidas às dificuldades naturais da existência, como o orgulho, o apego exagerado, a ambição desmedida, a competição exacerbada.
É possível sim, a libertação de velhos paradigmas, ela é resultado de muita luta interior e também de desapego para aceitar que nem todos os companheiros de jornada estarão dispostos a pagar o preço.
Desapego para deixar antigas rotinas, e, usando o novo pensar, paulatinamente introduzir nos dias de nossa vida, uma nova maneira de ser e conviver.
Este é o novo homem, aquele que está nascendo em todo o planeta, que a gente percebe no olhar infantil.
Há que transmutar-se todos os dias, sob pena de não conseguirmos acompanhar a evolução que se impõe independente de nossa vontade, contra nossas ilusões.
É uma força que rompe os sentidos e extravasa além da razão.
Para entendê-la, precisamos evoluir à fase infantil do fascínio pela vida, da curiosidade extrema, da vontade ilimitada de aprender, e principalmente, da ausência do medo.
O medo paralisa, e nestes tempos, muito será exigido de todos, portanto, estejamos preparados emocionalmente para as turbulências que ainda virão, para no final, colher todas estas sementes jogadas no caminho...

 Fonte:

http://crescerdatrabalho.blogspot.com/2010/03/os-caminhos-da-felicidade.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+CrescerDTrabalho+%28Crescer+d%C3%A1+trabalho%29

Nenhum comentário:

Leia no arquivo.