Navegando pelo mundo da Net, encontrei e trouxe para cá estes grandes achados.São pessoas talentosas que escreveram o que eu gostaria de ter escrito. Todos os textos estão com os devidos créditos. Meus parabéns a todos eles! Rejane

[s375x320.htm]

“Quem escreve constrói um castelo, e quem lê , passa a habitá-lo.”

domingo, 23 de maio de 2010

Narciso e o espelho

                                                                 


Por : Vanessa Garcia

- Espelho, espelho meu...existe alguém mais preocupado (a) com a aparência do que eu?


E o espelho debochadamente e em tom sarcástico responde:



- Claro honey! Está achando que é quem? O biscoitinho mais recheado do pacote? Iguais e até mais afetados (as) que você pelo narcisismo tem aos montes! Até a Tônia Carrero já perdeu o posto para a Nicole Kidman e o Cauby Peixoto perdeu para o Mickey Rourke! E a Elza Soares...bem essa daí ainda não perdeu para ninguém! Hahahaha.



Narciso “descobriu” o espelho e acabou com a nossa vida! (e com a dele também).



O espelho às vezes é uma droga sabia?! Te faz dar valor a coisas que antes você não acreditava ou não fazia a menor questão...mas eu, você e a Hebe não resistimos e nos rendemos à cultura das aparências.



O problema da vaidade exacerbada é que ela joga o sujeito num egocentrismo brabo,  lhe tira os pés do chão e desfoca a noção de realidade, ou seja, alimenta-se uma paixão “dodói” e exagerada por si mesmo. E quando ele se frustra por não ganhar toda a admiração que imaginava, e passa por fracassos na vida, a sua energia cai, a auto-estima vai lá embaixo, ele murcha igual um balão sem ar. Fica deprimido, a sensação de vazio vem, se sente um verdadeiro lixo, e assim, desesperado procura formas e alternativas para melhorar, mas para isso recorre a meios externos para ser confirmado como pessoa e receber elogios e atenção. Um tremendo ciclo vicioso!



                                                      
                            
                                                        ANTES                                                   DEPOIS                                  



                                              A noção viajou, mandou lembranças e nunca mais voltou!


Ela faz sexo olhando para o espelho, encolhendo a barriga e não olhando nos olhos do parceiro, para ver se o corpo está legal e a performance digna de uma atriz pornô bem paga. Ele tem complexo de Johnny Bravo, vai para a academia e não consegue disfarçar a emoção de se olhar enquanto levanta peso, admirado com seus bíceps e tríceps, frutos de muitas bombas ilegais. Mas como a maioria dos Johnnys, se você olhar da cintura para baixo, oh God, cadê o bumbum? Esqueceu em casa? Sem falar das canelinhas finíssimas!



A outra por causa de uma quantidade supimpa de botox, quando fala não tem mais expressão, o rosto não move, a testa parece de cera, cara de aquário, tudo para evitar o “código de barras” (aquelas rugas em cima da boca) e a boca de palhaço (aquelas rugas em volta da boca, que aparece quando sorrimos. Sorrir para elas agora dói!). Ainda tem aquele outro do Viagra, sim, aquele que acredita que as pílulas azuis vão levá-lo ao paraíso. O fissurado a procura de menininhas que já têm um histórico de carência afetiva em relação ao pai. Ele faz de tudo para chamar a atenção delas, mostra o carro novo de garotão recém comprado, pinta o cabelo acaju, faz implante capilar com o cabeleireiro do Sílvio Santos (ele acha que ninguém desconfia que o cabelo é implantado, é o mesmo caso dos que usam peruca, doce ilusão) e alguns ainda pintam a unha à francesinha. Afinal de contas, não é fácil conservar o topetão não!



O negócio é sério. O perfeccionismo ensandecido pode nos levar para o outro lado da força! Hoje em dia o ego não pode ser atingido e tem gente por aí perdendo a linha e abusando do botox, das cirurgias, dos tratamentos, como se fossem coisas banais. Marcam uma lipo, como se tivessem reservado hora na manicure.



   Eleestrelandoem"91/2 SemanasdeHorror"eelaem"Cidadedos Botox"                                                                                             



                             
 Pasmem: Michey Rourke e Meg Ryan! Me amarrota porque estou passada!
Nossa sociedade idolatra a bunda dura (termo emprestado do querido debochado Arnaldo Jabor). Quem exibir mais o corpo, tiver menos pneuzinhos, o peito mais próximo do pescoço, a barriga mais tanquinho, o braço mais musculoso, o sorriso colgate mais albino, vomitar mais após as refeições, ser mais fútil, tiver a boca maior, comprar muito ao invés de chorar por qualquer sofrimento (sim porque chorar desidrata), ter menos celulite, suar menos na hora do sexo (porque segundo o Jabor, para gente assim, fazer sexo desglamouriza! hahaha) e sorrir feito uma hiena para todos, mesmo sem ter vontade, ganha a competição! ÊÊÊÊ!!!



 Tenho o meu narcisismo e não tenho vergonha de assumi-lo.



Sou vaidosa, adoro um embelezamento e o lado fútil às vezes precisa vir à tona.



ESPELHO: Relação de amor e ódio. Há dias em que ele é cruel, mas logo passa, do nada volta a me agradar. O bom é que ele é de lua!



MAKE UP: Ô coisa boa!



SALTOS: Caminho como uma lady hahaha.



PERFUME: Não vivo sem o meu Versace.



UNHAS: Pintadas, por favor!



ROUPAS: Tem certos dias que comprar é uma delícia. Pura diversão!



CREME ANTI-RUGAS: Não uso regularmente. Tenho preguiça. Só quando me lembro do próximo aniversário!



MALHAÇÃO: Hã? Ah sim! Só no verão, por precaução sabe, para o caso de na praia, de repente, eu me deparar com alguma bunda dura e um peito versão melão, sem precisar me sentir tão mal com o meu corpo de ser humano normal.



                                                   
                             
                                                         ANTES                                                  DEPOIS                                    



                                            Com noção: Usa recursos a seu favor e continua lindaaa!


Se eu precisar fazer algo para me sentir melhor, faço com prazer, nada contra as pessoas que fazem lipo ou outras correções. Dou a maior força para a galera que se cuida, inclusive os homens. Acho um barato! Agora não vem com frescura né?! Não vem querer ter a sombrancelha mais bem feita que a minha, aí já é demais! Só não concordo com o exagero e a banalização, porque é justamente essa atitude que favorece o crescimento da paranóia e da obsessão do culto ao corpo. Perder a noção e ultrapassar o limite da sensatez é o que procuro evitar. Virar uma criatura irreconhecível para mim mesma frente ao espelho, com a cara esticada de aquário e com a bunda dura como pedra para virar a melancia 2: a missão? Não troco o chopinho com os meus amigos por nada! Tô fora!



Moral da história: Cuidado para não se apaixonar cegamente e excessivamente por si mesmo. Ter amor-próprio é diferente de só olhar para o próprio umbigo. Não deixe que a “Síndrome do Endeusamento” te domine para não acabar caindo na lagoa e se afogar, igual ao Narciso.


O que vocês acham?
Vanessa Garcia


2 comentários:

Liza Leal disse...

Adorei as "duras verdades"!
=)

Depois reclamam de solidão!...
Se esqueceram p/ q serve a essência...

bj

maria disse...

A melhor “plástica” acontece no interior e, por conseqüência, no exterior de um ser quando realizada pelo amor de Deus. Além de eficaz é perfeita. Não deixa marcas visíveis e, às vezes, apenas aquele que a recebe, a percebe.

Leia no arquivo.